quarta-feira, 6 de setembro de 2017

Desabafo e incentivo a Família Desmoideana

Oi gente!!!
Eu sei, eu sei,... to afastada do blog, mas sempre que dá eu apareço!
Segue abaixo, um texto que mandei no grupo do whatsapp de incentivo aos desmoideanos... e quero compartilhar com vcs.. 


Família Desmoideana,

Todos nós temos nossos momentos de fraquezas, o que é completamente justificável, mas acredito que Deus tem um plano muito grande para todos nós.

Não é fácil sentir dores, não é fácil sermos “limitados”, não é fácil. Só nós que temos ou tivemos esse tumor, é que sabemos o quão doloroso ele é... Muitos já operaram, muitos não operaram, muitos fizeram quimio/radio/bloqueio hormonal, muitos só acompanham... cada tratamento e conduta medica é diferente, justamente por não saber da onde vem e para onde vai, tudo são estudos e probabilidades.

Não digo que a dor de um é maior do que a do outro, que o sofrimento é maior ou não..., cada um tem seu grau de dor, sentimentos, frustações, medos.. Enfim, nosso caminho não é fácil, porém, temos que nos manter firmes e acreditando que tudo ficará bem.

Concordo que tem dias que dá vontade de se afundar em travesseiros e ficar ali, quieta (o), mas não podemos nos entregar a algo que não nos pertence. Isso mesmo, não nos pertence! Não nascemos com o tumor... então não é nosso certo?

Permitem-se chorar, gritar, espernear, desanimar, mas por um momento apenas, como um desabafo e logo voltem a sorrir, a acreditar, a ter fé, e nunca desistam!!!
Temos sonhos, expectativas, ideais, objetivos, e vontades, por mais simples que seja... não desistam!

Cada dia que passa é um dia vencido! Acreditem!
Lembro como se fosse hoje, quando tinha algo crescendo na minha axila e nenhum médico descobria o que era..., as dores que não passavam com nada, e eu escutando de gente pobre de espírito que era frescura minha, que não era nada (isso porque se dizia amiga). Sim, isso mesmo, FRESCURA!!! Frescura essa que fiquei por 7 anos sentindo dores, antes de operar e sendo cogitado amputar o braço, ou até mesmo perder todo o movimento dele... por frescura!!!

Iremos cruzar muito com essas pessoas, isso se já não cruzamos, em nosso caminho, e digo... relevem! Elas são pobres de espíritos. E não permitam que nos atinjam! Somos mais que elas. Somos mais fortes! Somos mais confiantes! E temos Deus conosco.
Vamos viver a cada dia! Vamos confiar a cada dia! Vamos aprender a lidar cm tudo isso a cada dia!

Fé, força e foco!!!!

Grande beijo,


Priscila – SP – operada a 4 anos e 2 meses sem recidiva, sem tratamento e com 40% da mobilidade do braço reduzida. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário